entrevista-emprego-seleção-recrutamento-trabalho
Tempo de Leitura: 5 minutos

5 dicas para mandar bem na entrevista de emprego

Entenda como se preparar para uma entrevista profissional e veja o que recrutadores esperam de você

Maria Laura Perão e Marina Soares

Que felicidade receber um convite para uma entrevista de emprego no lugar que você sonha em trabalhar, não é? Você já imagina como vai ser quando receber a aprovação, se prepara para o momento, mas… Depois da entrevista, sente que não entregou tudo o que tinha de melhor. 😰

Afinal, são poucos minutos para demonstrar o seu valor e conseguir falar para o recrutador tudo o que é necessário.

Mas, calma! Para tudo tem solução, e hoje você vai aprender com quem tá do outro lado, avaliando as pessoas candidatas. Nossa recrutadora Maria Laura Perão traz dicas de como se preparar para o momento da entrevista.

Quer entender como é o processo de avaliação na entrevista e como falar o que realmente importa? Vem com a gente para saber sobre:

  • O planejamento de um processo seletivo
  • Tipos de entrevistas
  • 5 dicas para ir bem na entrevista de emprego

O planejamento de um processo seletivo

Um processo seletivo pode ser estruturado por diferentes etapas: inscrição, teste comportamental, teste técnico, dinâmica em grupo, entrevista individual e até mesmo entrevista coletiva. Cada organização estrutura o seu processo com as etapas que forem mais adequadas para identificar o que é mais importante para aquela vaga ou área

Para se sair bem e conseguir a vaga, é importante entender um pouco sobre como funciona a seleção! Bora conhecer um pouco sobre a etapa de entrevista individual?

Tipos de entrevistas

Cada uma das etapas é pensada visando atingir um objetivo diferente, e por isso cada uma delas tem critérios distintos. A intenção é  conhecer melhor o candidato e suas habilidades comportamentais (soft skills) e suas habilidades técnicas (hard skills). 

A etapa de entrevista tem por objetivo identificar informações relevantes e conhecer mais o candidato. Afinal, essa pode ser a única etapa em que as pessoas se encontram de forma síncrona ao longo do processo. 

Um dos modelos mais interessantes de entrevistas no mundo do trabalho é o de  entrevistas por competências, que foca não apenas nos conhecimentos técnicos, mas também nas habilidades e atitudes da pessoa candidata. 

Suas perguntas são estruturadas para que a pessoa compartilhe uma experiência ou uma ação através de exemplos, contextualizando o que aconteceu e qual foi a resolução naquele momento. Aqui no Bridge somos fãs das entrevistas por competências! 😉

Mas essa não é a única forma de entrevista de emprego. Dá uma olhada no que você pode se deparar em um processo seletivo:

  • Entrevista estruturada – o recrutador aplica perguntas pré-selecionadas, com pouca ou nenhuma flexibilidade no decorrer da conversa
  • Entrevista não-estruturada – o recrutador tem autonomia para aplicar as perguntas que preferir e aprofundar em assuntos diversos
  • Entrevista técnica – nesse estilo, a avaliação principal é sobre as hard skills do candidato
  • Entrevista em grupo – o recrutador avalia vários candidatos ao mesmo tempo e, geralmente, é utilizada em processos seletivos que possuem muitos candidatos por vaga
  • Entrevista-desafio – este método cria situações que exijam raciocínio lógico, comportamentos, competências e habilidades que o recrutador espera do candidato

Há um mundo de possibilidades! Mas, atualmente, o modelo de competências vem sendo cada vez mais aplicado no mercado de trabalho, e por isso as dicas serão mais eficazes em entrevistas que se enquadram neste modelo.

5 dicas para ir bem na entrevista de emprego

Agora que você já entendeu melhor sobre a estruturação e o objetivo da entrevista por competências, é hora de descobrir como se sair bem no momento! Então, bora conferir as dicas da recrutadora Maria Laura. 📝

#1 – Prepare-se para o momento da entrevista

É importante entender suas próprias habilidades, experiências e currículo. Mas também é essencial pesquisar sobre a organização e entender tudo o que eles desejam em um candidato. O que é feito na organização? Quais são as metas? Qual a missão, visão e valores? Como os colaboradores avaliam o ambiente de trabalho?

Todas essas informações podem ser encontradas em locais de fácil acesso, como site oficial, redes sociais e Glassdoor!

💡 Dica bônus: você também pode buscar entender sobre a cultura da organização. Se ela é mais casual ou mais formal, se utiliza da metodologia ágil ou cascata, entre outras características. Assim você consegue adequar sua linguagem verbal, corporal, roupas e filtrar habilidades mais importantes que devem ser destacadas.

#2 – Quanto mais calmo, mais natural

A pessoa que conduzirá sua entrevista quer saber sobre você! Então, quanto mais calma você estiver, melhor e mais natural vai ser a conversa. Você vai conseguir passar tudo o que há de mais importante e, de quebra, não vai se cansar desnecessariamente. 😉

Para ficar tranquilo, você pode realizar alguns truques como:

  • Exercícios de respiração – Às vezes o básico já é suficiente. Que tal testar a técnica de inspirar em oito segundos, segurar quatro segundos e expirar em oito segundos? 

Caso você precise de um momento mais dedicado ao relaxamento, sempre pode procurar meditações e exercícios de respiração no YouTube ou nos diversos aplicativos disponíveis nas lojas. #DicaDaRecrutadora: o aplicativo Insight Timer pode ser ótimo nesses momentos.

  • Aqueça sua voz – a primeira coisa que a ansiedade afeta é a fala. Você começa a se enrolar nas palavras e, consequentemente, tem maior dificuldade de ter uma conversa natural.

Para ajudar nisso, alguns exercícios rápidos no YouTube podem ajudar na dicção, leveza, tom de voz e muito mais. Com certeza isso vai trazer mais segurança e tranquilidade para o momento.

#3 – Foque em falar sobre as suas habilidades

Melhor do que falar sobre seus anos de experiências ou seus certificados, é contar aos avaliadores quais foram seus aprendizados nas experiências, quais atitudes você teve e quais as habilidades que desenvolveu ao longo do processo

O Jason Shen, que é Product Manager em uma empresa de tecnologia, fala sobre como mostrar suas habilidades, não seu currículo em seu TED Talk. Afinal, não queremos saber somente sobre os anos de estudo, mas sobre o que você aprendeu com isso. Vale a pena conferir! O vídeo está em inglês, mas o YouTube disponibiliza legendas em português.

Também é importante ter cuidado para não falar apenas sobre sua vida pessoal. O foco é entender sobre a trajetória acadêmica e/ou profissional! 

Além disso, seja objetivo nas respostas. Cuidado para não fazer um monólogo interminável sobre suas mil qualidades, hein? Caso seja interessante, você pode adicionar alguma informação extra, mas só se ela agregar na avaliação! Autoconhecimento é tudo, mas vale saber dosar o que é realmente necessário.

#4 – Tenha clara a motivação para entrar na organização

Entender o que te motivou a participar do processo seletivo e também o que te chamou a atenção na vaga é essencial. Essa, muitas vezes, é uma pergunta da entrevista. 

Além da motivação para entrar na organização, ter clareza sobre o seu objetivo profissional é importante! Você quer mudar de carreira? Conseguir um emprego em uma nova área? Progredir na carreira? 

Caso você ainda não tenha certeza, não se desespere! Entender seu objetivo profissional é um processo rápido para alguns, mais lento para outros. Caso seja necessário uma ajuda profissional, você pode buscar uma Orientação Profissional com um profissional de psicologia. 

#5 – Tire suas dúvidas e deixe claras suas expectativas! 

Este momento, para além de te conhecer, serve também para garantir que você e a organização estão alinhados. É hora de entender se o que você deseja profissionalmente e o que a organização espera de você fazem sentido em conjunto.

Deixe claras suas expectativas quanto ao cargo, salário, datas, dia-a-dia da função, dinâmica da equipe, responsabilidades e desafios dentro da organização. Assim, você vai conseguir entender melhor sobre o lugar que tanto deseja trabalhar!


Agora que você já conferiu as dicas da recrutadora Maria Laura, que tal treinar suas habilidades para entrevista? Te esperamos nos processos seletivos!

Curtiu esse conteúdo? Então você pode se interessar por esses artigos:


O Laboratório Bridge atua no Centro Tecnológico da Universidade Federal de Santa Catarina (CTC/UFSC), com equipes formadas por bolsistas graduandos, pós-graduandos e profissionais contratados. É orientado por professores do CTC e do Centro de Ciências da Saúde (CCS/UFSC).

Desde 2013, desenvolvemos sistemas e aplicativos para gerenciamento da saúde pública em parceria com o Ministério da Saúde e a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA).

LinkedIn
WhatsApp
Facebook
Twitter

Posts Relacionados

Três vezes Bridge no Agile Trends Gov!

Tempo de Leitura: 5 minutos Três vezes Bridge no Agile Trends Gov! O que significa para o Laboratório a experiência no evento; nas palavras do seu CEO! Por Jades Hammes,

Shopping Basket