Capa post sobre o b_thinking
Tempo de Leitura: 4 minutos

B_thinking: o modelo de processo de UX do Bridge, agora para todos!

Veja como o b_thinking foi desenvolvido e confira os princípios, etapas, métodos e ferramentas do modelo, disponíveis no site.

Conteúdo produzido por Gabriel Norde, Lais Eing, Ianka Cristina e Thaisa Lacerda.

No Bridge, Compartilhar dá + XP! E é por isso que resolvemos espalhar o conhecimento bridger para o mundo. O b_thinking, nosso modelo de processo de UX próprio, já possui site e pode ser acessado por qualquer pessoa! 😊

Se você se interessa por Produto, Design, UX, UI, metodologias ágeis e ferramentas de melhoria de processo, dê uma olhada no b_thinking, que temos certeza que você vai gostar. 

No artigo “B_thinking: Por que decidimos construir um modelo de processo de UX próprio?” contamos o que é o b_thinking, como ele começou a ser criado e para que serve. Além disso, exploramos diversos motivos pelos quais o nosso modelo de processo de UX foi pensado especialmente para o desenvolvimento dos produtos do laboratório Bridge. 

Um deles é manter a nossa forma de trabalho mais transparente para as equipes, novos membros e para os clientes (e por que não futuros clientes? 😉)

A construção do b_thinking ocorreu em várias etapas, envolvendo bridgers de diversas equipes e com diferentes formações. A diversidade desses papéis enriqueceu a discussão sobre as práticas e rotinas do laboratório e contribuiu com a construção de diversas orientações.

Uma das nossas maiores preocupações foi estruturar um modelo de processo de UX que estivesse alinhado com a nossa cultura organizacional e com o processo de desenvolvimento das equipes. Para isso, construímos o b_thinking de forma iterativa, realizando constantes entregas de MVP, avaliando e fazendo melhorias conforme necessário. Dá uma olhada:

Missão 1: levar a dinâmica do Bridge para a planilha

#1 –  Na primeira versão foram definidas as etapas, atividades e saídas do processo. Nessa fase, o conteúdo foi apresentado em uma planilha, com o intuito de favorecer a troca de conhecimento entre os bridgers e construir uma base comum de terminologia no laboratório. 

Nessa primeira versão, nosso modelo representava o esforço de diversos times para entender as etapas envolvidas na construção de diferentes produtos. As etapas estavam estruturadas em uma planilha, incorporando a ideia de uma sequência de passos que podiam ser seguidos para atingir um objetivo final. Neste momento, não havia  uma representação visual que facilitasse a compreensão das atividades dos processos de descoberta e de entrega.

De forma complementar, compilamos os princípios que traduzem a cultura do laboratório Bridge, das metodologias ágeis e do Lean UX. Estes princípios incluem conceitos que vão desde a ideia trabalhar com equipes multifuncionais, mas pequenas, até testar as hipóteses e soluções antes de escalá-las.

Os aprendizados e experiências de diversos bridgers estavam finalmente organizados em um único local.  Entendendo que as organizações são dinâmicas e vivas, a cada ciclo novos aprendizados continuaram sendo registrados (e continuarão, pois a melhoria é contínua!). Dessa forma foi possível construir uma base comum de informações facilitando a troca de conhecimento.

Missão 2: bora orientar a galera

#2 – A segunda versão teve como objetivo fornecer mais orientações sobre o nosso processo de trabalho. Para cada etapa, nós descrevemos um objetivo, sugestões de métodos/ferramentas que podem ser utilizados para realizá-la, templates/guias e uma seção com referências, para que os bridgers pudessem rapidamente acessar conteúdos mais detalhados.

Nesta versão, o material foi organizado em formato de slides e ganhou uma representação visual do processo.

Missão 3: transparência e produtividade!

#3 – Um dos objetivos do b_thinking é atender à necessidade de tornar o processo de desenvolvimento de produtos do Bridge mais transparente e acessível para todos os stakeholders dos nossos projetos.

Além disso, no Bridge, nós valorizamos o compartilhamento de ideias, afinal Compartilhar Dá +XP! Por isso, na sua terceira versão, nós publicamos todo o conteúdo do b_thinking em um site!

Com o conteúdo público, garantimos mais transparência sobre os nossos processos com toda a comunidade de desenvolvimento de produto, disponibilizando um conteúdo que é fruto de muita pesquisa e iterações para quem quiser acessar. Se você é estudante, profissional da área ou um entusiasta de UX, não deixe de conferir o site e nos contar o que achou!

Por meio do site  também aumentamos ainda mais a transparência com os nossos clientes e outros stakeholders do projeto. Ter o nosso processo de UX e as ferramentas que utilizamos apresentadas de forma clara e acessível, facilita os alinhamentos e garante que todos os envolvidos tenham clareza sobre o porquê e como cada uma das atividades estão sendo realizadas.

Ah, vale lembrar que o b_thinking foi construído por e para os bridgers, ou seja, os métodos refletem a nossa forma de trabalho. Mas, é claro, ele pode se aplicar a outros locais e projetos, ou até mesmo servir de inspiração para a sua adaptação de modelo de processo de UX.

Portanto, não é uma metodologia fechada. Pode usar como for melhor para o seu processo, de forma flexível. O b_thinking serve para orientar, não engessar! 💡

Lá no site do b_thinking você pode conferir informações valiosas para a implementação desse modelo de processo de UX. 

Lá, você pode conferir sobre:

Princípios: Para desenvolver produtos incríveis, não basta apenas aplicar diferentes métodos em uma ordem específica, é importante incorporar princípios do Lean UX para poder extrair o maior valor possível do processo.

Etapas: O b_thinking possui etapas, que durante o desenvolvimento do produto, nos orientam a entender o problema e a identificar as soluções que mais agregam valor para os nossos clientes e usuários.

Métodos e ferramentas: Para nos ajudar a construir os entregáveis de cada etapa, o b_thinking descreve diversos métodos e ferramentas com suas respectivas instruções de uso.

Templates e guias: E para facilitar a execução das etapas, o b_thinking tem templates e guias de algumas ferramentas. Estes materiais são adaptados para os bridgers, mas você pode utilizá-los como ponto de partida.

Ficou interessado? Então vem conferir o material completo no nosso site do b_thinking e depois nos conte o que você achou!


O Laboratório Bridge atua no Centro Tecnológico da Universidade Federal de Santa Catarina (CTC/UFSC), com equipes formadas por bolsistas graduandos, pós-graduandos e profissionais contratados. É orientado por professores do CTC e do Centro de Ciências da Saúde (CCS/UFSC).

Desde 2013, desenvolvemos sistemas e aplicativos para gerenciamento da saúde pública em parceria com o Ministério da Saúde e a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA).

Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter

Posts Relacionados

Shopping Basket